Gols e Melhores Momentos de Atlético-PR 2 x 1 Sporting Cristal 05/02/2014

admin February 6, 2014 0

ATLÉTICO-PR MARCA NO FIM, VENCE NOS PÊNALTIS E AVANÇA NA LIBERTADORES

Furacão consegue a vitória de 2 a 1 no último minuto da partida e faz 5 a 4 nas cobranças de pênalti em partida que começou nervosa e terminou feliz


Em uma partida nervosa até o fim, o Atlético-PR venceu o Sporting Cristal nos pênaltis, após fazer 2 a 1 no tempo normal, e avançou na Libertadores na noite desta quarta-feira, na Vila Capanema. O time entra no grupo 1, que tem The Strongest, Universitario e Vélez Sarsfield. O primeiro compromisso será contra o The Strongest, no próximo dia 13.

Os 9.156 pagantes (10.372 presentes e R$ 202.275,00 de renda) viram um primeiro tempo com muita briga e pouco futebol. Tanto que o árbitro Antonio Aria mostrou seis amarelos e dois vermelhos, um para cada lado, antes do intervalo.

O jogo melhorou no segundo tempo. Aos 14, o Furacão abriu o placar com Manoel. Mas, no lance seguinte, Ávila empatou. A partida descambou para muita confusão em campo. Foram mais dois cartões vermelhos, sendo que o último para Ortíz, que colocou a mão na bola dentro da área aos 49 minutos. O pênalti convertido por Éderson levou o jogo para as cobranças.

Nos pênaltis, o coração da torcida foi testado novamente. Depois de Ederson e Lobatón converterem, Deivid chutou fraco e o goleiro Penny defendeu. Cazulo, Mérida e Advincúla marcaram e situação ficou ainda mais complicada quando o goleiro peruano defendeu o chute de Nathan. A situação parecia irreversível até que Weverton apareceu e defendeu o chute de Delgado. Natanael convertou e Calcaterra, para o Sporting, chutou para fora. A emoção somente acabou no chute de Aquino, da equipe peruana, que mandou na trave.

Weverton goleiro do Atlético-PR comemoração  (Foto: Reuters)
Weverton é um dos herois da classificação (Foto: Reuters)

Antes de estrear na fase de grupos, o Atlético-PR, com o time sub-23, disputa o clássico Atletiba pelo Campeonato Paranaense. O jogo está marcado para 19h30m (horário de Brasília) de domingo, mais uma vez na Vila.

Muita briga; pouco futebol na etapa inicial

Miguel Ángel Portugal apostava em uma formação mais ofensiva, com o atacante Douglas Coutinho na vaga do volante João Paulo e o time no 4-3-3. Já o Sporting Cristal tinha uma postura mais cautelosa, mas dava trabalho à defesa rubro-negra com a dupla Leguizamón e Irven Ávila. Apesar das posturas distintas, os times protagonizaram um primeiro tempo equilibrado. Aos 14, Ederson bateu por cima na melhor oportunidade dos mandantes. No minuto seguinte, Yotún também desperdiçou chance clara de dentro da área.

Além de equilibrado, o jogo também era brigado – no mau sentido. Aos 18, o meia Zezinho e o zagueiro Balbín trocaram empurrões e receberam o cartão vermelho direto. A partida teve outros seis amarelos – um para o Furacão, cinco para o Sporting Cristal – antes mesmo do intervalo. Com tantas faltas, discussões e reclamações, os lances de perigo tornaram-se raros, e o primeiro tempo ficou mesmo no 0 a 0.

Toda emoção fica para o segundo tempo

O Atlético-PR voltou com o meia Fran Mérida no lugar do atacante Douglas Coutinho e com outra disposição em campo. No primeiro lance, o meia iniciou a jogada em que Marcelo quase abriu o placar. A defesa peruana afastou. O lance incendiou a torcida, e o time partiu para cima. Natanael arriscou de fora da área e, após desvio, tirou tinta da trave. Fran Mérida e Marcelo, em chutes à queima-roupa, também assustaram. A pressão deu resultado. Aos 14, Fran Mérida cobrou falta pela direita, e Manoel desviou para abrir o placar. No minuto seguinte, porém, o Sporting Cristal empatou na mesma moeda. Calcaterra mandou para a área, e Ávila completou para o fundo das redes.

A partida continuava tensa com o árbitro paraguaio Antonio Arias distribuindo cartões. A equipe do Sporting adotou a postura de se defender e também bater. O lateral-direito Cóssio acabou expulso aos 20 minutos deixando o Sporting com nove jogadores e a partida virou ataque contra defesa, com Marcelo se esforçando, mas pouco efetivo.

Quando a eliminação parecia certa, o Atlético-PR consegiu um pênalti depois de tentar fazer o gol com Nathan e Mosquito. Ortíz, do Sporting, evitou o gol com a mão e o árbitro apitou o pênalti, convertido por Ederson, que deu a chance de o Furacão brigar pela vaga na decisão por pênaltis. Após os 5 a 4, os mais de 10 mil torcedores que lotaram a Vila Capanema foram ao delírio.

Deixe uma resposta »